Tecnologia, conectividade e inclusão digital: percepções de jovens universitários

O artigo desta semana foi apresentado no  II Encontro Regional Centro-Sul da ABCiber em 2019

Foi escrito com o pesquisador André Luciano Viana

Resumo

A juventude contemporânea vive a instabilidade e a incerteza de acesso à educação formal, os problemas de inserção no mundo do trabalho, entre outras múltiplas formas de exclusão em termos de cidadania cívica, política, cultural e social. Segundo Feixa et al. (2018) as juventudes sofrem com a estigmatização e o menosprezo. Possuem como demanda contemporânea: ter voz e possibilidade de expressão; melhor acesso ao trabalho e, em terceiro lugar, o acesso igualitário ao mundo digital.

Os meios de comunicação digital estão essenciais, “com o advento da comunicação distribuída em redes digitais, mesmo em países ditatoriais, se conformam espaços de diálogos horizontais entre grupos e indivíduos conectados” (SILVEIRA, 2011, p. 52). O fato de analisar que, conforme Winocur (2009), a tecnologia proporciona uma nova relação das juventudes com a cultura global, permite destacar que muitas experiências de consumo atravessam fronteiras e culturas locais, mesmo que as realidades de cada jovem sejam heterogêneas.

Em decorrência destes enfoques, a afirmação que as trajetórias do mundo trabalho dos jovens estão cada vez mais interligadas ao processo de inclusão social, revela-se o fio condutor para a reflexão sobre os processos de subjetivação que atravessam o cenário atual das práticas culturais juvenis. Assim, este estudo tem como objetivo analisar as perspectivas de jovens universitários da cidade de Novo Hamburgo-RS, a respeito das mutações nas relações de trabalho relacionadas ao avanço da conexão e da conectividade proporcionadas pelas mídias digitais e sua ambiência.

Em relação à metodologia, neste artigo utilizou-se a pesquisa descritiva, qualitativa, dividida em dois procedimentos: bibliográfica e abordagem etnográfica com entrevistas realizadas em duas disciplinas iniciais de dois cursos de graduação situados na cidade de Novo Hamburgo-RS. A pesquisa bibliográfica busca discutir questões sobre juventudes, inclusão digital e trabalho, conta com os autores Carles FEIXA PAMPOLS, Boaventura de Sousa SANTOS, Manuel CASTELLS, Richard SENNETT, Ricardo ANTUNES, Rossana REGUILLO CRUZ, Robert CASTEL, entre outros.

Este artigo traz reflexões que integram as pesquisas de doutoramento do programa de pós-graduação em Diversidade Cultural e Inclusão Social pela Universidade Feevale sob perspectivas distintas dos pesquisadores, mas ao mesmo tempo, interligadas, sendo que a primeira tem como objetivo central problematizar a relação do smartphone com a inclusão social na juventude contemporânea brasileira e a outra, objetiva problematizar as relações de trabalho na contemporaneidade.

Link: http://abciber.org.br/simposios/index.php/centro-sul/IIcentrosul/paper/view/507

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s