“Hiperconsumo está condenado à morte”, diz o filósofo francês Gilles Lipovetsky

Estamos diante de uma nova sociedade, em que o consumo de massa deixou de existir dando espaço para o hiperconsumo. O neoconsumidor do século 21 fez uma ruptura absoluta com o modelo de compras dos anos 40 e 50, onde reinava o sentimento do semicoletivo: uma televisão, um telefone, um carro e outros equipamentos eram suficientes para uma família. Esta ideia do uno ficou no passado, predomina, agora, o pensamento de pluralidade, ou seja, muitas coisas para cada indivíduo, um fenômeno impulsionado pela tecnologia, mas também pela descoberta do colecionar experiências (valor do prazer, satisfação e felicidade). Porém esta explosão do consumo generalizado deve novamente ter um revés. “Mesmo que não desapareça imediatamente, o modelo do hiperconsumo e do hiperindividualismo está condenado à morte. Vamos assistir ao nascimento de um consumidor frugal, um consumidor responsável e colaborativo, mais atento ao ecológico e que sabe dividir, compartilhar”, disse o filósofo francês Gilles Lipovetsky no 23º Congresso de Marketing, promovido pela ADVB/RS no dia 24, no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre.

Com o tema Novas Conexões para Novos Negócios, o evento das 8h às 18h30 reuniu importantes nomes do cenário do marketing: o diretor de Shopper Marketing Brasil da Coca-Cola, Marcelo Barreto, o CMO do Itaú Unibanco, Fernando Chacon, o CEO da FLAG, Roberto Martini, e o co-fundador da Global Shapers Community Porto Alegre, Tomás de Lara. Ao destacar que o congresso é uma iniciativa para capacitar o mercado gaúcho, tornando-o mais forte e competitivo, o que contribui para o desenvolvimento do Estado, o presidente da ADVB/RS, Carlos Bierdermann, disse que os conceitos difundidos e a troca de experiências com os especialistas convidados resultam em um aprendizado único. “Todos os segmentos possuem relação com o marketing e precisam dele para compreender se destacar no mercado. O desafio de cada participante é levar todo esse conhecimento para as organizações e transformar tudo isso em desenvolvimento, excelência e novos negócios”, frisou para os mais de 1,2 mil participantes, que assistiram a sequência de palestras.

Rebuscando a sociedade de consumo desde o pós-guerra a uma projeção do futuro, Gilles, que é autor de livros como Os tempos Hipermodernos, A Felicidade Paradoxal: Ensaio sobre a Sociedade de Hiperconsumo, A Era do Vazio, disse que o hiperconsumo apresenta diversas características, mas principalmente a individualização do comportamento, originada na emancipação do indivíduo. “O neoconsumidor é um nômade, é volátil, é imprevisível e infiel. Ele vive em uma bulimia crescente de busca de gratuidade, ao mesmo tempo sonha com produtos caros, de luxo. Há uma bipolarização das compras, em que prevalece um modelo cultural do consumidor que aspira coisas para ele e que não quer mais se privar de produtos que tragam satisfação. Isso não significa um direcionamento à zona do low cost (baixo custo)”, explicou o francês no painel O Papel do Marketing nas Novas Relações de Consumo.

PROPÓSITOS – O propósito das organizações de conseguirem ofertar satisfação e felicidade ao consumidor também foi replicado pelos demais palestrantes. Com o tema O Papel do Branding na Conexão com o Consumidor, o executivo Fernando Chacon mostrou como o Itaú Unibanco foi além do seu core business e vem alcançando sua razão de existir: o propósito de transformar para melhor o mundo das pessoas, razão pela qual decidiu abrir um guarda-chuva de causas, desde educação à mobilidade urbana. Já Tomás de Lara, da Global Shapers Community Porto Alegre, disse que o mundo está entrando em uma era mais subjetiva, muito mais de criação do que produção. “Tudo está conectado, há um despertar da consciência e a biomética será parte fundamental dos novos conceitos, sendo levada para dentro das empresas”, comentou no painel A Evolução da Conexão com o Consumidor. Segundo ele, uma nova economia, chamada de circular, está se desenhando, ganhando contornos mais humanos, corroborativos, social e sustentável. A ordem, sentenciou, será o compartilhamento.

Nesta linha de mudanças de comportamento, o diretor de Shopper Marketing Brasil da Coca-Cola, Marcelo Barreto, ratificou os novos hábitos adquiridos pelo consumidor. Ao falar sobre O novo perfil do Shopper e impactos nas relações de consumo, ressaltou que são três as tendências de consumo que vão mudar os canais de venda: conveniências, racionalização e experiência. “Os shoppers compram para as próximas quatro horas ou até a manhã do dia seguinte. Com isso, as cestas pequenas estão crescendo em detrimento das grandes e o ticket de compra é menor, porém diário. Também há um deslocamento de público para o ‘atacarejo’, que só em 2013 registrou a abertura de 2 milhões de novas lojas”, relatou, ao dar três dicas para capturar essas novas oportunidades de vendas: diversificar a oferta, facilitar as compras, tornando-as mais intuitiva, e otimizar o sortimento. Já Roberto Martini, da FLAG, mostrou uma perspectiva futura mais dura. “A robotização substituirá o pensamento. Se antes um processo dependia de 40 pessoas, hoje são necessárias duas”, frisou, argumentando que a nova economia, a comunicação em rede, os novos negócios virão das tecnologias daqui para frente.

DESAFIO – Para o curador do 23º Congresso de Marketing, Ricardo Vontobel, que liderou o painel Transformando Tendências em Realidade nos Negócios – reuniu palestrantes em um debate – a sociedade vive um momento de mudanças intensas, rápidas e profundas. “Hoje, a produção somente na forma física não garante vantagem competitiva. Cada vez mais, os aspectos intangíveis de produtos e serviços passarão a fazer parte dos aspectos tangíveis, gerando um ambiente diferenciado de relacionamento com o consumidor”, afirmou. Acrescentou ainda que, com a globalização, se instalou um processo de comoditização, com preços semelhantes. “Precisamos encontrar diferentes maneiras de encantar e mobilizar o consumidor. O desafio é incorporar habilidades de resoluções criativas.” O 23º Congresso de Marketing teve como patrocinadores a Unisinos, Seprorgs, RBS TV e Leão Fuze. Apoiaram o evento Fecomércio-RS, Gerdau, Zero Hora, Morya e Teatro do Bourbon Country

25/09/2014

http://www.advb.com.br/site/noticia/hiperconsumo-esta-condenado-a-morte-diz-o-filosofo-frances-gilles-lipovetsky/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s